Mensagem do Presidente

Prezados Colegas;

A situação dramática, em função da pandemia do Covid-19, impossibilitou o nosso ENCONTRO PRESENCIAL. No entanto, há necessidade – como talvez nunca antes – da continuidade da produção científica e do intercâmbio de conhecimentos das doenças infecciosas tropicais e negligenciadas.

Dessa forma, a Comissão Organizadora definiu alterar o formato do evento para uma PLATAFORMA DIGITAL, em respeito à saúde e proteção de vidas, assim como, tem sido com milhares de congressos e simpósios ao redor do mundo.

Infelizmente, a decisão não poderia ser outra, especialmente porque o Hangar Centro de Convenções de Belém/PA, ainda se mantém como hospital de campanha para internações de pacientes infectados com a Covid-19.

Nos encontraremos no primeiro Congresso Digital da SBMT, nominado de MEDTROP PLAY – que ocorrerá no mesmo período, de 25 a 28 de outubro de 2021.

Porém, gostaria de garantir à vocês que manteremos todas as atividades pré planejadas para o MEDTROP desse ano, incluindo: 12 salas funcionando simultaneamente, com uma grade científica composta de: 24 conferências, 48 mini conferências, 72 mesas redondas, apresentação dos temas livres e E-pôster.

Esse ano, teremos também uma nova atividade científica que certamente será protagonista, com a atual situação pandêmica, a realização do 1º Fórum COVID-19, que foi adicionado às Reuniões Satélites, como o Entomol8, Reunião Internacional Chagas&Leish e o VIII Workshop Nacional da Rede TB (Rede de Tuberculose).

Além das atividades pré-congresso que serão os 16 minicursos e o Fórum de Doenças Negligenciadas.

Esse formato digital acrescentará a vantagem de disponibilizar aos participantes inscritos, acesso a todos os conteúdos da grade científica do Medtrop, das Reuniões Satélites e dos Trabalhos Científicos, por um prazo de trinta dias após o evento, possibilitando assistir on demand (quando e onde quiser).

Outra novidade é que o MEDTROP 2022, já está agendado para o período de 13 a 16/11/2022, no Hangar Centro de Convenções, na acolhedora cidade de Belém do Pará, para um grande encontro presencial.

Aos participantes inscritos até o dia 31/05/2021 no MEDTROP, receberão um voucher de desconto de 40% no valor da inscrição do MEDTROP 2022, que será validado no sistema de inscrição do próximo ano.

Estamos preparando o MAIOR evento da nossa história da SBMT, considerando que teremos uma plataforma completa, onde os participantes poderão assistir as atividades da programação científica, visitar stands, fazer networking na rede social exclusiva do MEDTROP, além de poder assistir 100% do conteúdo após o evento.

Manteremos o compromisso em oferecer diversas atividades que permearão o Tema Central do Congresso: “Doenças tropicais e populações negligenciadas: o desafio de conhecer, vigiar e cuidar”.

Como de costume a programação científica será ampla e atual, com abordagens diversas de estudos básicos, ensaios clínicos e estudos de coortes, avanços no diagnóstico e vigilância epidemiológica, tratamento e controle de doenças infecciosas e parasitárias, com ênfase especial para as doenças de populações negligenciadas, dentre outros.

Encarando o desafio que as doenças tropicais e populações negligenciadas representam para o mundo, mas com a certeza de fazer desse um grandioso e marcante MEDTROP, contamos com a participação de todos os tropicalistas.

Aguardo todos vocês de 25 a 28 de outubro de 2021 e já aproveito para reiterar o convite para estarmos juntos, PRESENTES e SAUDÁVEIS em Belém/PA no MEDTROP 2022.

VEM PARA O MEDTROP PLAY – 2021!
VEM PRA BELÉM – 2022!

Atenciosamente,

Pedro Fernando da Costa Vasconcelos
Presidente do MEDTROP 2021
Presidente da SBMT

ORIENTAÇÕES PARA ACESSO A PLATAFORMA DO EVENTO

A seguir, compartilhamos algumas orientações sobre como será a dinâmica do MEDTROP PLAY.

No período de 25 a 28 de outubro de 2021, você acessará por meio desse site o ambiente virtual do evento. Clique na chamada Acesse aqui o Evento online e entre na plataforma inserindo o mesmo login e senha criado no ato da inscrição, que você utiliza para acessar a sua área restrita. 

Ao entrar no MEDTROP PLAY, você verá:

  • BALCÃO DE ATENDIMENTO / BEM VINDOS: Nele você poderá tirar suas dúvidas, usando o chat que estará disponível durante todo o horário de funcionamento do MEDTROP PLAY com a secretária do evento.
  • TOTEM DE ORIENTAÇÕES:  Você terá as informações para realizar o seu credenciamento e posteriormente ter acesso aos ambientes do evento (Auditórios / Exposição de Stands / Apresentação de Trabalhos / Espaço Networking / Avaliação & Certificados).
  • FÓRUM DE DOENÇAS NEGLIGENCIADAS: O Fórum Social Brasileiro de Enfrentamento das Doenças Infecciosas e Negligenciadas – edição 2021, será a primeira atividade do MEDTROP PLAY, realizado nos dias 24 e 25/10/2021. Consulte (EM BREVE) no link Programação para montagem da sua agenda.
  • SALAS DE 01 A 08: Nessas oito salas serão realizadas as atividades da grade científica do MEDTROP, no período de 26 a 28/10/2021. Verifique (EM BREVE) na programação científica o(s) dia(s), horário(s) e sala(s) da(s) atividade(s) de sua preferência para montagem da agenda.

É muito importante montar a sua agenda com as atividades de interesse para não perder a oportunidade de engajar por meio do CHAT. O debate das atividades somente ocorrerá no AO VIVO.

As apresentações de trabalhos da modalidade Oral, também ocorrerão nas salas, no horário do almoço, sendo reproduzidos os vídeos previamente gravados pelos autores e, após, haverá debate AO VIVO com o público presente, via chat.

  • REUNIÕES SATÉLITES: As salas das Reuniões Satélites estarão nomenclaturadas. Consulte (EM BREVE) na programação o(s) dia(s), horário(s) e sala(s) da(s) atividade(s) de sua preferência para montagem da agenda.
  • 1º Fórum COVID-19
  • ChagasLeish 2021
  • ENTOMOL – VIII Workshop de Genética e Biologia Molecular de Insetos Vetores de Doenças Tropicais
  • VIII Workshop da REDE-TB
  • ON DEMAND: O conteúdo científico ficará disponível em até 07 (sete) dias após o MEDTROP PLAY, para que os participantes possam assistir onde e quando quiser pelo período de 30 (trinta) dias.
  • STAND DA SBMT: Além de poder acessar informações sobre como  associar-se a SBMT e os benefícios de ser um Sócio, no estande dos Associados você poderá entrar em contato com a equipe da SOCIEDADE e tirar as dúvidas, realizar comentários e deixar as sugestões relacionadas a melhoria da qualidade de serviços da SBMT.
  • STANDS VIRTUAIS: Não deixem de visitar os nossos stands e conhecer todas as ações, novidades e surpresas que os nossos PATROCINADORES prepararão para vocês. Participem dos sorteios acompanhando os games, respondendo às perguntas e concorram a prêmios.
  • AVALIAÇÃO E CERTIFICADOS: O participante poderá imprimir o certificado, a partir do dia 05/11/21, após o preenchimento do formulário de avaliação do evento e considerando a(s) atividade(s) realizada(s) durante o período do evento.

Serão fornecidos os certificados de:

– Participante no MEDTROP PLAY (mediante 75% de audiência)
– Participante de Minicurso (mediante 75% de audiência)
– Participante do 1º FÓRUM COVID-19
– Participante do FÓRUM Doenças Infecciosas e Negligenciadas
– ENCONTRO COM ESPECIALISTAS DA SBMT
– Autores de Trabalho Científico – Oral*
– Autores de Trabalho Científico – E-Pôster*
– Avaliadores

*Será emitido 1 (um) certificado por trabalho apresentado, incluindo o nome de todos os autores. A impressão dos certificados deverá ser realizada pelo autor que submeteu o trabalho no site do MEDTROP. O acesso ao certificado será por meio do site:

http://www.medtrop.com.br/, com login e senha.

Comissão Organizadora

Presidente: Pedro Fernando da Costa Vasconcelos

Coordenadora: Livia Medeiros Neves Casseb

Vice-Coordenadora: Jannifer Oliveira Chiang

Amiraldo da Silva Pinheiro                                  

Carlos David Bichara                                         

Cintya de Oliveira Souza                                    

Danielle Murici Brasiliense                                 

Fabio Augusto Silva Bastos                               

Fernando Henrique Brandão Molento                 

Helena Andrade Zeferino Brígido                         

Leonardo Weissmann                                      

Liliane Almeida Carneiro                                  

Maria do Perpetuo Socorro Costa Correa             

Martha Elizabeth Brasil da Nobrega       

Patrícia Daniele Lima de Lima                 

Robson José de Souza Domingues                     

Vera Regina da Cunha Menezes Palácios

Coordenadora: Cléa Nazaré Carneiro Bichara

Ana Yecê das Neves Pinto

Antônio Carlos Rosário Vallinoto

Arnaldo Jorge Martins Filho

Consuelo Silva de Oliveira

Esther Castello Branco Mello Miranda

Fernando Tobias Silveira

Francisca Regina Oliveira Carneiro

Giselle Maria Rachid Vianna

Haroldo José de Matos

Heloísa Marceliano Nunes

Hugo Reis Resque

Izis Mônica Carvalho Sucupira

Joaquim Pinto Nunes Neto

Juarez Antônio Simões Quaresma

Lívia Carício Martins

Manoel do Carmo Pereira Soares

Maria Cleonice Aguiar

Marinete Marins Póvoa

Pedro Pereira de Oliveira Pardal

Raimunda do Socorro Silva Azevedo

Rita Catarina Medeiros de Sousa

Simone Regina Souza da Silva Conde

Tânia do Socorro de Souza Chaves

Thiago Vasconcelos Santos

Vania Pinto Sarmento

Ademir de Jesus Martins Junior (FIOCRUZ/RJ)

Alberto Novaes Ramos Júnior  (UFC)

Aline Carralas Leão  ( Instituto de Infectologia Emílio Ribas / SP)

Alejandro Luquetti Ostermayer  (UFG)

Aluisio Augusto Cotrim Segurado (USP)

Ana Nilce Silveira Maia Elkhoury (OPAS)

André Machado Siqueira (INI-FIOCRUZ/RJ)

Bodo Wanke (FIOCRUZ/RJ)

Bruno Rodolfo Schlemper Junior (UNOESC/SC)

Carlos Graeff Teixeira (UFES/ES)

Carlos Henrique Nery Costa (UFPI)

Edgar Marcelino de Carvalho Filho (FIOCRUZ/BA)

Elder Augusto Guimarães Figueira  (FVS/AM)

Ethel Maciel  (UFES/ES)

Felipe Gomes Naveca (FIOCRUZ/AM)

Flávio de Queiroz Telles Filho (UFPR/PR)

Guilherme Loureiro Werneck (UFRJ e UERJ)

Ivo Castelo Branco Coelho (UFC/CE)

Jackson Maurício Costa (UFMA)

Jeffrey Jon Shaw (USP/SP)

José Paulo Gagliardi Leite (FIOCRUZ/RJ)

Júlio Henrique Rosa Croda (FIOCRUZ/MS

Kleber Giovanni Luz (UFRN/RN)

Luciano Pamplona de Góes Cavalcanti (UFC/CE)

Luisa Carício Martins (UFPA)

Luiz Tadeu Figueiredo

Manoel Barral Neto (FIOCRUZ/BA)

Marcelo Simão Ferreira  (UFU/MG)

Marcia Hueb (UFMT/MT)

Marcus Vinicius Guimarães de Lacerda (FIOCRUZ/AM; FMT-HVD)

Marcos Boulos

Maria Aparecida Shikanai Yasuda (USP/SP)

Mauro Celio de Almeida Marzochi (INI-FIOCRUZ/RJ)

Mittermeyer Galvão dos Reis (FIOCRUZ/BA e UFBA)

Pedro Almeida Silva  (FURG/RS)

Pedro Luiz Tauil (UNB/DF)

Rosália Morais Torres (UFMG/MG)

Sérgio Luiz Bessa Luz (FIOCRUZ/AM)

Sinval Pinto Brandão Filho (FIOCRUZ/PE)

Valdilea  Gonçalves Veloso dos Santos (INI-FIOCRUZ/RJ)

Wuelton Marcelo Monteiro (FMT-HVD)

Fernando Henrique Brandão Molento                 

Juliane Tayse Ribeiro Maia

Leticia da Cunha Andrade                                

Murilo Tavares Amorim                                    

Victor Gabriel Bastos Chaves                           

Reuniões Satélites

Premissa: O cenário atualizado de simultaneidade de ocorrência de doenças endêmicas que permanecem entre nós há séculos e novas doenças de proporções pandêmicas, exigem renovação de modelos de vigilância epidemiológica, atenção médica, interação de atividades de saúde contínuas e compartilhadas, além de rápida geração de conhecimentos e sua respectiva divulgação imediata. No que se refere ao último ponto, a capacitação de pessoas ligadas aos diversos serviços de saúde, em especial aqueles envolvidos no controle de doenças e de surtose as vigilâncias epidemiológicas, sanitárias e ambientais precisa ser contínuo e cada vez mais focado em ações compartilhadas. Por sua vez, a atividade de pesquisa científica anseia por interações mais eficazes com estes setores para fins de divulgação de seus resultados e de aplicação das descobertas que sejam úteis no controle, diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças.

Breve histórico: O comprometimento de profissionais ligados à pesquisa científica com duas seculares endemias brasileiras, a doença de Chagas e as Leishmanioses fez surgir este evento de excelência até hoje mantido. Com início em 1984, as Reuniões de Pesquisa Aplicada em doença de Chagas e Leishmanioses contribuíram com a construção de um novo paradigma de ciência. Visam o intercâmbio técnico-científico entre os profissionais da saúde, pesquisadores, gestores e estudantes de graduação e pós-graduação de diversas áreas e países. A estrutura das reuniões se baseia na discussão de proposições ou resultados de pesquisa científicas direcionados aos agentes executores das políticas de saúde nacionais e são focados nas evidências geradas pelos setores da pesquisa, as quais possam ser diretamente aplicadas na melhoria das estratégias de controle e prevenção dos agravos em questão.

Proposta: Realização da ChagasLeish 2021 no período 25 a 28 de outubro de 2021, como parte do 56º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical – MEDTROP PLAY

Objetivos: – Promover o intercâmbio técnico-científico entre profissionais de saúde e pesquisadores buscando novas estratégias de controle, profilaxia, tratamento e manejo clínicos na doença de Chagas e Leishmanioses; – Aproximar profissionais das áreas de desenvolvimento tecnológico-estratégico e promover a transferência tecnológica ao setor produtivo, visando a solução dos problemas ligados à saúde individual,  coletiva e danos sociais advindos dessas endemias; Favorecer a capacitação qualificada de profissionais e estudantes nas mais diversas áreas abordadas durante o evento; – Apresentar, por meio de proposições de implementação, mudanças, inovações ou exclusão de políticas públicas relativas ao controle, compartilhar atividades e interações que auxiliem a gestão técnica destas endemias,  sob a luz das de evidências científicas.

Síntese do método: Por meio de Cursos, Oficinas, Grupos de Trabalho, Conferências, Mesas Redondas, Miniconferências e Painéis, abordar temáticas tais como: “Inter-relação entre Pesquisa, Tecnologia e Serviço na busca de soluções para o controle de doenças endêmicas”; “Reforço das capacidades regionais de metodologia de Ensaios clínicos para inserção de novas drogas para o tratamento de doença de Chagas e Leishmanioses”; “Dificuldades de controle das Leishmanioses e atenção aos pacientes nas fronteiras e em comunidades isoladas”; “Vigilância entomológica de triatomíneos, baseada em controle comunitário”; “Retorno de Transmissão vetorial de doença de Chagas”; “Atendimento das leishmanioses e da doença de Chagas na Atenção primária em áreas endêmicas: experiências exitosas”; “Desafios da assistência médico-diagnóstica para leishmanioses doença de Chagas” em “Segurança transfusional para endemias: um paradigma superado?; ”Manejo de portadores de doença de Chagas ou leishmaniose co-infectados por HIV”, “Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para doença de Chagas e leishmanioses”; Covid-19 e doença de Chagas: desafios impostos”, dentre outras.

Mais uma vez a Rede Brasileira de Pesquisas em Tuberculose REDE-TB se une à Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) na 56ª edição do MEDTROP para realizar o seu 8º Workshop. É com muita alegria que damos boas-vindas a cidade de Belém, com suas belezas, sua cultura pungente, suas manifestações religiosas e culturais que simbolizam a história da capital paraense, um grande destino turístico, que este ano será palco do maior evento médico-científico de Medicina Tropical.

A intensa programação científica preparada pela REDE-TB, evento satélite que ocorreram simultaneamente ao congresso vai contar com a presença de renomados especialistas, nacionais e internacionais, em um momento de tamanho desafio imposto pela pandemia de COVID-19. Temos certeza de que o Workshop será uma excelente oportunidade para discutirmos os desafios da tuberculose, principalmente em tempos de pandemia, em que a doença e os programas em nosso País sofreram grande impacto, em que fomos obrigados a nos reinventar, mudar nossas formas de trabalho.

Foi um ano bastante difícil, mas que também mostrou a importância da ciência e do trabalho desenvolvido pelos pesquisadores. Esse conhecimento científico foi fundamental para que conseguíssemos entender melhor todos os desafios estabelecidos pela pandemia e suas implicações na tuberculose. Precisamos traçar metas para 2021, bem como para os próximos anos que diminuíam os efeitos desses impactos.

Contamos com a participação de todos em mais essa edição do Workshop da REDE-TB. Esperamos por vocês em Belém do Pará, quando o maior número possível de pessoas já deve estar vacinado. Enquanto isso não for possível, continuem se protegendo com máscaras, mantendo o distanciamento físico e a higiene das mãos.

Dra. Ethel Maciel
Presidente da Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose e do VIII Workshop da REDE-TB

PROGRAMAÇÃO PARA DOWNLOAD

Sobre o Entomol 8

As doenças humanas transmitidas por insetos hematófagos representam um sério problema de saúde pública no Brasil, onde acometem milhares de pessoas a cada ano. Neste contexto, tem-se observado um interesse crescente dos órgãos de vigilância sanitária no delineamento de estratégias de controle baseadas no combate aos insetos transmissores. No entanto, para que alcancem o nível de eficácia desejado, é imprescindível que se disponha de um profundo conhecimento sobre a biologia destes vetores, assim como dos delicados mecanismos de interação com os agentes etiológicos que transmitem.

A utilização de ferramentas de biologia molecular no estudo de insetos vetores vem sendo cada vez mais difundida entre pesquisadores de todo o mundo, implicando no surgimento de alternativas de controle cada vez mais específicas e eficazes. Apesar da notável expansão deste campo no Brasil, considera-se que o número de pesquisadores devidamente capacitados para a condução destes trabalhos ainda é restrito, determinando a necessidade da formação e capacitação de recursos humanos nas áreas que permeiam a chamada Entomologia Molecular. Neste sentido, a realização do VIII Workshop de Genética e Biologia Molecular de Insetos Vetores de Doenças Tropicais (ENTOMOL 8) tem como objetivo maior contribuir no processo de aperfeiçoamento dos grupos de pesquisa atuantes nesta área do conhecimento no Brasil, congregando a comunidade cientifica do país no campo da entomologia médica e com participação de colegas do exterior que desenvolvem estudos em parceria com grupos do país.

O evento também tem a finalidade de possibilitar a crescente formação de estudantes de graduação e pós-graduação da Região Nordeste, assim como contribuir para a atualização profissional dos pesquisadores que já atuam nas áreas relacionadas ao tema central do evento. Por outro lado, o evento também atrai a participação de técnicos envolvidos na elaboração e execução dos serviços de vigilância epidemiológica em programas e controle de vetores nos níveis municipal, estadual e federal.

Finalmente, em virtude das circunstâncias da pandemia de covid-19, a oitava edição do meeting será realizada excepcionalmente de forma virtual, e novamente em conjunto com o congresso anual da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, através de plataforma MEDTROP PLAY. Esperamos encontrá-los todos bem e revê-los de forma virtual no próximo mês de outubro, com fortes esperanças da retomada de nosso encontro presencial na nona edição do ENTOMOL.

Comissão Organizadora

Cursos Pré-congresso

Fórum de Doenças Negligenciadas

ATENÇÃO

Saiu o resultado dos trabalhos científicos que serão apresentados no MEDTROP PLAY! 
Conheça a forma de apresentação oral e e-pôster por sessão temática

PRAZO PRORROGADO
Realize o UPLOAD dos arquivos de apresentação dos TC´s até o dia 25/09/21

Evite Fake News!

Acesse os nossos canais oficiais de comunicação com informações seguras e atualizadas.
Website: www.medtrop.com.br
Redes Sociais: @MEDTROP

Valores com desconto congelados até 30 de setembro de 2021.