Premissa: O cenário atualizado de simultaneidade de ocorrência de doenças endêmicas que permanecem entre nós há séculos e novas doenças de proporções pandêmicas, exigem renovação de modelos de vigilância epidemiológica, atenção médica, interação de atividades de saúde contínuas e compartilhadas, além de rápida geração de conhecimentos e sua respectiva divulgação imediata. No que se refere ao último ponto, a capacitação de pessoas ligadas aos diversos serviços de saúde, em especial aqueles envolvidos no controle de doenças e de surtose as vigilâncias epidemiológicas, sanitárias e ambientais precisa ser contínuo e cada vez mais focado em ações compartilhadas. Por sua vez, a atividade de pesquisa científica anseia por interações mais eficazes com estes setores para fins de divulgação de seus resultados e de aplicação das descobertas que sejam úteis no controle, diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças.

Breve histórico: O comprometimento de profissionais ligados à pesquisa científica com duas seculares endemias brasileiras, a doença de Chagas e as Leishmanioses fez surgir este evento de excelência até hoje mantido. Com início em 1984, as Reuniões de Pesquisa Aplicada em doença de Chagas e Leishmanioses contribuíram com a construção de um novo paradigma de ciência. Visam o intercâmbio técnico-científico entre os profissionais da saúde, pesquisadores, gestores e estudantes de graduação e pós-graduação de diversas áreas e países. A estrutura das reuniões se baseia na discussão de proposições ou resultados de pesquisa científicas direcionados aos agentes executores das políticas de saúde nacionais e são focados nas evidências geradas pelos setores da pesquisa, as quais possam ser diretamente aplicadas na melhoria das estratégias de controle e prevenção dos agravos em questão.

Proposta: Realização da ChagasLeish 2021 no período 25 a 28 de outubro de 2021, como parte do 56º Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical – MEDTROP PLAY

Objetivos: – Promover o intercâmbio técnico-científico entre profissionais de saúde e pesquisadores buscando novas estratégias de controle, profilaxia, tratamento e manejo clínicos na doença de Chagas e Leishmanioses; – Aproximar profissionais das áreas de desenvolvimento tecnológico-estratégico e promover a transferência tecnológica ao setor produtivo, visando a solução dos problemas ligados à saúde individual,  coletiva e danos sociais advindos dessas endemias; Favorecer a capacitação qualificada de profissionais e estudantes nas mais diversas áreas abordadas durante o evento; – Apresentar, por meio de proposições de implementação, mudanças, inovações ou exclusão de políticas públicas relativas ao controle, compartilhar atividades e interações que auxiliem a gestão técnica destas endemias,  sob a luz das de evidências científicas.

Síntese do método: Por meio de Cursos, Oficinas, Grupos de Trabalho, Conferências, Mesas Redondas, Miniconferências e Painéis, abordar temáticas tais como: “Inter-relação entre Pesquisa, Tecnologia e Serviço na busca de soluções para o controle de doenças endêmicas”; “Reforço das capacidades regionais de metodologia de Ensaios clínicos para inserção de novas drogas para o tratamento de doença de Chagas e Leishmanioses”; “Dificuldades de controle das Leishmanioses e atenção aos pacientes nas fronteiras e em comunidades isoladas”; “Vigilância entomológica de triatomíneos, baseada em controle comunitário”; “Retorno de Transmissão vetorial de doença de Chagas”; “Atendimento das leishmanioses e da doença de Chagas na Atenção primária em áreas endêmicas: experiências exitosas”; “Desafios da assistência médico-diagnóstica para leishmanioses doença de Chagas” em “Segurança transfusional para endemias: um paradigma superado?; ”Manejo de portadores de doença de Chagas ou leishmaniose co-infectados por HIV”, “Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para doença de Chagas e leishmanioses”; Covid-19 e doença de Chagas: desafios impostos”, dentre outras.

Mais uma vez a Rede Brasileira de Pesquisas em Tuberculose REDE-TB se une à Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) na 56ª edição do MEDTROP para realizar o seu 8º Workshop. É com muita alegria que damos boas-vindas a cidade de Belém, com suas belezas, sua cultura pungente, suas manifestações religiosas e culturais que simbolizam a história da capital paraense, um grande destino turístico, que este ano será palco do maior evento médico-científico de Medicina Tropical.

A intensa programação científica preparada pela REDE-TB, evento satélite que ocorreram simultaneamente ao congresso vai contar com a presença de renomados especialistas, nacionais e internacionais, em um momento de tamanho desafio imposto pela pandemia de COVID-19. Temos certeza de que o Workshop será uma excelente oportunidade para discutirmos os desafios da tuberculose, principalmente em tempos de pandemia, em que a doença e os programas em nosso País sofreram grande impacto, em que fomos obrigados a nos reinventar, mudar nossas formas de trabalho.

Foi um ano bastante difícil, mas que também mostrou a importância da ciência e do trabalho desenvolvido pelos pesquisadores. Esse conhecimento científico foi fundamental para que conseguíssemos entender melhor todos os desafios estabelecidos pela pandemia e suas implicações na tuberculose. Precisamos traçar metas para 2021, bem como para os próximos anos que diminuíam os efeitos desses impactos.

Contamos com a participação de todos em mais essa edição do Workshop da REDE-TB. Esperamos por vocês em Belém do Pará, quando o maior número possível de pessoas já deve estar vacinado. Enquanto isso não for possível, continuem se protegendo com máscaras, mantendo o distanciamento físico e a higiene das mãos.

Dra. Ethel Maciel
Presidente da Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose e do VIII Workshop da REDE-TB

 

EMENTA EM BREVE